O que é Business Intelligence?

O que é Business Intelligence?

3 de novembro de 2015 0 Por Kássia Rodrigues
Através dos softwares e banco de dados é possível obter-se um limitado número de relatórios. Esse número limitado não consegue suprir a real necessidade da informação sobre os diversos aspectos necessários para a tomada de decisão, tornando-se uma barreira à tomada de decisão de uma empresa. As ferramentas de Inteligência de Negócios, conhecidas pela sigla de BI ou Business Intelligence, podem ser aplicadas para construir diferentes cenários sobre um conjunto de informações, de modo muito mais eficaz e independente de relatórios oferecidos por softwares de gestão tradicionais. As soluções de Business Intelligence surgiram como uma evolução dos sistemas de informação, pois a necessidade das empresas de colocarem informações sólidas nas mãos dos gerentes exigiu que os Sistemas de Apoio à Decisão pudessem analisar os dados sob novas dimensões, permitindo a navegação em diferentes níveis de detalhes e a realização de análise de tendências ou outras comparações complexas utilizando os dados que descrevem o negócio.

O termo Inteligência de Negócios significa, resumidamente, coletar dados de diversas fontes, organizá-los, analisá-los e compartilhá-los com os executivos mais importantes da empresa. Estes então transformam essas informações relevantes em decisões importantes para o futuro da empresa.

Geralmente, coletores de BI recolhem suas informações primarias de fontes internas ao negócio. Tais fontes ajudam os responsáveis por tomarem as decisões a entender quão bem eles agiram. Fontes secundárias de informações são formadas pelas necessidades dos clientes, processos de tomada de decisão dos clientes, a competição e as pressões dos competidores, as condições das indústrias relevantes, e em geral as tendências econômicas, tecnológicas e culturais.

Processo

DATA WAREHOUSE (DW) – Nada mais é do que um banco de dados contendo dados extraídos do ambiente de produção da empresa, que foram selecionados e depurados, tendo sido otimizados para processo de consulta e não para processamento de transações. Um DW requer a consolidação de outros recursos de dados, além dos armazenados em banco de dados relacionais, como informações provenientes de planilhas eletrônicas, documentos textuais, etc.

DATA MART (DM) – É um subconjunto de dados de um DW. Geralmente são dados referentes a um assunto específico.

EXTRACT TRANSFORM LOAD (ETL) – Extração, Transformação e Carga de dados. Essa é a fase responsável pela extração dos dados encontrados nas diversas fontes de dados contidos na empresa e em seguida esses dados passam por um processo de transformação e posteriormente são carregados para o Data Warehouse.

ON-LINE ANALYTICAL PROCESSING (OLAP) – É uma tecnologia de software que permitem analistas e gerentes obterem dados de uma forma mais rápida, consiste e também permite uma análise multidimensional. Voltado para a tomada de decisões. Não realiza transações, pois sua finalidade são consultas. Possui dado atual e histórico e não há necessidade de backups regularmente. O nível de conhecimento e o nível estratégico da empresa utilizam o OLAP para as tomadas de decisões e assim traçar um planejamento estratégico.

O Profissional

O profissional nesse universo de “Business Intelligence” deve se atentar a alguns detalhes importantes para uma boa atuação. Buscar resultados da capacidade de detectar oportunidades de negócios e associar seus levantamentos numéricos a eventos de sucesso. Focar nas análises das necessidades e desejos dos clientes. E então, detectar as tendências e associá-las aos objetivos de seus clientes, promovendo seus produtos e serviços. Não há uma receita de bolo e nem uma garantia de que seus resultados serão satisfatórios, porém as boas práticas de BI reduzem os erros e possibilitam conhecer os padrões comportamentais dos clientes, o que é determinante na oferta de um produto.

Não somente as grandes empresas, mas também as corporações de pequeno, médio porte necessitam de BI para auxiliá-las nas mais diferentes situações para a tomada de decisão, otimizar o trabalho da organização, reduzir custos, eliminar a duplicação de tarefas, permitir previsões de crescimento da empresa como um todo e contribuir para a elaboração de estratégias. Na grande maioria das vezes, para estas empresas enquadradas como pequenas, não precisam, necessariamente, de sistemas de alto investimento, com milhares de relatórios, gráficos para identificar que existe um problema específico numa linha de produto que não está sendo comercializado conforme a sua potencialidade. Basta o feeling da área comercial em se pensar numa outra estratégia de vendas para o mesmo.

No Brasil, soluções de Business Intelligence estão em instituições financeiras, empresas de telecomunicações, seguradoras e em toda instituição que perceba a tendência da economia globalizada, em que a informação precisa chegar de forma rápida, precisa e abundante. O principal benefício do BI para a empresa é a sua capacidade de fornecer informações precisas quando necessárias, incluindo uma visão em tempo real do desempenho corporativo geral e de suas partes individuais.

A partir dos resultados obtidos em empresas que utilizam BI, seus benefícios são a economia de tempo, versão única da verdade, melhores estratégias e planos, melhores decisões táticas, processos mais eficientes e a economia de custos.

Fonte: oficinadanet, it4biz